twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemail

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Firin Salonu Restaurante

A comida é uma expressão da cultura! Assim, quando experimento pratos típicos de outros lugares, no final, fico gordo e culto! 😉
O restaurante Firin Salonu é um represente incrível da culinária Turca.
O diferente já começa quando vamos escolher uma mesa, o garçon olha para você e manda: As mesas são compartilhadas!
Já começo na fobia do bandejão da fábrica, procurando uma cadeira longe das pessoas. Acho uma mesa distante e corro para sentar neste raro lugar, torcendo para ninguém querer sentar perto de mim.
Posso parecer caipira e sou, mas lendo outras experiências, a grande maioria fica incomodada com esta situação. Devem ter medo do fanho sentar na frente, pedir uma farofa e falar de política contigo. Acabando a refeição enfarofado e nervoso.
Na entrada peça o "Kuymak", que é um aligot de queijo defumado e milho, com uma consistência cremosa e saboroso. Perfeito para comer junto com o pão "ramazan" que é bem macio. Imperdível!
O restaurante tem um coquetelaria, com opções exóticas como o "Ezme" (R$26). Lembra o Bloody Mary, no lugar do tomate eles usam o extrato de pimentão. Não sou fã da "Maria Sanguinária" e achei o drink horrível.
Também tem opções interessantes de vinhos, escolhi um vinho rose argentino chamado "Amansado". Quando a taberneira trouxe o vinho, não segurei o riso por causa do rótulo, que é um cavalo com uma rosa na boca. Os vinhos deveriam ter rótulos mais divertidos, como o Amansado.
No Firin, escolhemos o prato principal e dois acompanhamentos.
O Sogan Bolmasi (R$ 39) são pétalas de cebola recheada com camarão e mandioquinha, não me cativou.
Gostei muito do Ahtapot Kebab (R$78), que é polvo grelhado na brasa, saboroso e no ponto perfeito.
O famoso por lá é o Pidesi (R$34), que é tipo uma "pizza" turca. Não experimentei, mas irei voltar para experimentar o prato.
Os acompanhamentos são bem interessantes, por exemplo, o Bulgur (R$22), que é um triguilho cremoso com açafrão e ovo.
Sobremesa tem o Kunefe (R$26), que é  torta crocante de sêmola, recheado com queijo fresco e calda de especiarias. Achei interessante!
Para finalizar, não esqueça de pedir o café turco!
O atendimento no Firin é confuso e lento, parece que falta garçon. Os pratos são saborosos e dificilmente você irá conseguir comer comida parecida em São Paulo.
Tem um pequeno estacionamento gratuito para clientes, raridade nos tempo atuais.
Certamente irei voltar neste restaurante!



Serviço:
Firin Salonu
Endereço: Rua Heitor Penteado, 147 - Sumarezinho - São Paulo - SP 
Telefone: (11) 38038962

Horário:
segunda-feira Fechado
terça-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
quarta-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
quinta-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
sexta-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
sábado 13:00 - 16:00 - 19:00 - 23:00
domingo 13:00 - 16:00 - 19:00 - 23:00

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Jun Sakamoto Restaurante

Estudando a rica culinária japonesa, sempre é citado o chef Jun Sakamoto, como sendo o mestre dos Sushis.
Em uma pesquisa recente apontou o sushi como o segundo prato preferido dos paulistanos (o primeiro, claro, foi a pizza).
Tamanha popularização do sushi provocou uma banalização da comida. A maioria dos sushis que comemos nos restaurantes japoneses são produtos inventados e adaptados pela criatividade do brasileiro.
Tive a experiência de poder experimentar o sushi do Jun Sakamoto. Os ingredientes utilizados neste aclamado restaurante são bem frescos, peixes e moluscos que dificilmente encontramos em peixarias normais como o pargo, merluza negra, enguia, vieiras, ovas de salmão.
Neste restaurante cada peça de sushi é tratada como uma jóia, o arroz do sushi é morno e já vem pronto para ser consumido. Vejo em restaurante japonês o pessoal submergindo os sushis no shoyu e raiz forte, cortando todo o sabor dessa iguaria. No Jun o sushi é temperado pelo Chef nas pinceladas.
No menu degustação de 14 sushis é difícil identificar qual foi o melhor.
Peça uma garrafa de saquê para acompanhar os sushis, combina perfeitamente.
A noite passa rápido neste restaurante japonês perfeito, eleito diversas vezes o melhor japonês de São Paulo.
No final fecha os olhos, paga a conta alta e guarde em sua recordação a experiência em comer sushis de primeira qualidade.



Serviço:
Jun Sakamoto Restaurante
Endereço: R. Lisboa, 55 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05413-000, Brasil

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Huto Restaurante

Dos 12 restaurantes estrelados em SP pela Michelin, 4 são de comida Japa.
O Huto comandado pelo Chef Fábio Honda, que é cria de Jun Sakamoto, não segue a linha tradicional do mestre, trazendo um pouco de modernidade e outras influências nos pratos.
Gostei muito do creme de abóbora japonesa com lagostim gratinado, servido com ovas de mujol e os incríveis sushis de diversos peixes.
O destaque fica pelo excelente atendimento do João, pernambucano que entende muito de culinária japonesa e não mediu esforços para provar para mim que o Huto é excelência em comida japonesa, depois de explicar para ele que estava conhecendo os estrelados da Michelin, explicou todo o trajeto do restaurante e elogiou a minha postura com a comida japonesa.
Algumas dicas para comer comida japonesa:
Coma os sushis com as mãos, não com aquela frescura ou nojinho com o Hashi. Comer com a mão te aproxima com a comida.

O Shoyu já é delicadamente pincelado nos sushis, nâo precisa pedir um prato e ficar molhando o arroz até desmontar o sushi.
Vale a pena a experiência no Huto.

Serviço:
Huto Restaurante

Endereço: Av. Jandira, 677 - Moema, São Paulo - SP, 04080-004, Brasil
Telefone: +55 11 5052-6804

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Kinoshita Restaurante

Quando este restaurante japonês ganhou a estrela Michelin, era comandado pelo Chef Tsuyoshi Murakami. Ele e o outro sócio, Marcelo Fernandes, resolveram romper a sociedade. Marcelo também já tinha rompido a sociedade com o Atala no DOM e tem uma excelente experiência em transformar restaurantes. Localizado no bairro Vila Nova Conceição, a casa tem uma arquitetura espetacular.
Tudo é impecável, desde os talheres e louças, atendimento, vestimenta dos garçons e funcionários.
O restaurante irá cativar o gosto brasileiro, não sendo tão tradicional como os outros da categoria.
Apresenta um menu degustação de nove etapas, pelo valor de 360 reais. Uma boa garrafa de sake, sai por 250 reais.
Em uma etapa do menu veem o famoso prato de camarão com molho teriyaki e ovo, que já foi tema na terceira temporada do masterchef.
O que mais gostei foi o peixe com vieiras. As vieiras são cultivadas em Picinguaba em Ubatuba e são levadas vivas para o restaurante.
Merecido a estrela e estou esperando o antigo chef abrir um novo restaurante para poder conhecer a culinária dele.

Serviço:
Kinoshita Restaurante 

Rua Jacques Félix, 405 - Vila Nova Conceição São Paulo - SP

Almoço de segunda a sexta das 12h às 15h e aos sábados das 12h às 16h.
Jantar de segunda a sexta, das 19h às 0h e sábados, das 19h30 à 0h.
Domingo fechado.

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Picchi Restaurante

O Picchi é o mais recente restaurante a ganhar uma estrela da Michelin em São Paulo.
Lozalizado na Oscar Freire, tem um ambiente chique, um atendimento exemplar e o menor valor dos estrelado para o menu desgustação clássico com 9 pratos por R$210.
Uma carta de bebidas agradável, dando valor a cachaça brasileira e uma gama de opções de drinks. Começei com uma dose de cachaça do sul, Weber Haus, deliciosa.
O restaurante se define como comida italiana autoral. O chef Pier Paolo Picchi está se esforçando e falta um pouco ainda para chegar ao mesmo sabor dos outros restaurantes selecionados pela Michelin.
Na desgustação do dia, começamos com um horrível copo com creme de amendoim e campari. Tive que me esforçar para comer tudo e com essa decepção inicial, comecei a pensar que estava em uma fria. No segundo prato, foi servido um delicioso e estrela da degustação zabaione de cenoura com ovas de pujol. Zabaione costuma ser uma sobremesa italiana e gostei da apresetação servida na casca de um ovo. Outra grande mancada foi o carpaccio de buri, onde exageram no sal e estava bem salgado.
Os outros pratos servidos estavam agradáveis, alguns utilizando belas flores e excelente apresentação.
No final, vale a pena a visita se estiver na região da Oscar Freire e quiser conhecer um bom custo benefício selecionado pela Michelin.

Segue os pratos servidos no Menu Degustação:
Creme de amendoim com Campari
Zabaione de cenoura com ovas de pujol
Cannoli recheado com mortadela e pistache
Carpaccio de Buri
Agnolotti com espinafre e Coelho a caçadora
Pato recheado com foie gras
Abacaxi com flores e ervas
Tiramissu
Frutas vermelhas com mascarpone

Serviço:
Picchi Restaurante

Endereço
Rua Oscar Freire, 533 - Jardins - São Paulo

Horário de Funcionamento
Almoço
Terça a Sexta das 12:00 às 15:00
Sábado das 12:00 às 16:00
Domingo: 12:00 às 17:00

Jantar
Terça a sábado das 19:00 à meia-noite
Telefone
(11) 3065-5560

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Tuju Restaurante

Para quem gosta de gastronomia, conhecer os restaurantes estrelados da Michelin é sempre uma honra.
Hoje passei umas 3 horas experimentando o menu degustação do restaurante Tuju (2 Estrelas), localizado em Pinheiros.
Ponto positivo é que o menu acompanha a harmonização de bebidas, que inclui: drinks, cervejas, vinhos e café.
Assim, com essa variedade de bebidas, fica-se bêbado com facilidade. Outro ponto positivo... ; )
O chef Ivan Ralston tem a horta no próprio restaurante, todas as folhas do restaurante são produzidas no próprio local.
Até este momento, o Tuju é o melhor restaurante que conheci. Comida com ingredientes frescos, feito com carinho, atendimento impecável, ambiente perfeito.
Totalmente recomendado a visita para comemorar ou curtir uma excelente culinária.
Sem reclamação, somente elogios.

Segue os pratos degustados...

Aperitivos
Caju e flor de sabugueiro
Flor de alcachofra, queijo da serra da canastra, purê de limão siciliano e dill
Acarajé de couve flor e óleo de rosas
Cannoli na brasa glaceado com mel, coalhada e sal de hortelã
Flor de abobrinha, lagostim e erva-luísa

Entradas
Peixe azul, água de tomate, purê de raiz forte e feijão de corda frito
Curry verde, pupunha e ervilha

Principais
Robalo com espaguete de abóbora, mole de brócolis e pil pil de avelã
Cordeiro, acelga francesa e mate

Sobremesas
Tábua de queijos brasileiros
Casquinha com sorbet de pitanga e noz pecãn
Sorvete de leite de ovelha cru, sopa de amora, yuba de chocolate e gelatina de kirsh
Caixa de Pandroa (Bombom de tabaco, cachaça, inca kola e papoula)



Serviço:
Tuju Restaurante
Rua Fradique Coutinho, 1248 - São Paulo - SP
Telefone: 11 2691-5548 | 11 2691-5342

Funcionamento:
TERÇA A SEXTA 19H30 ÀS 23H
SÁBADOS E FERIADOS 13H ÀS 16H E DAS 19H30 ÀS 23H

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Tordesilhas Restaurante

Aquele restaurante para levar o amigo gringo para conhecer a comida brasileira. Acredito que a grande maioria de brasileiros também não conheçam as delícias regionais, como o Tacacá do Pará ou o Barreado do litoral do Paraná.
O restaurante é o único que oferece um menu degustação de comida brasileira. 
Chegando no restaurante eu já pedi um Tacacá, que não fazia parte da degustação.
O Tordesilhas também é singular em ter um mestre-pimenteiro. O Zé Lima é responsável em fazer as conservas de cumari, malagueta, peito de moça, pimenta de cheiro que são servidas e harmonizadas nos pratos.  
O meu degustação se inicia com o "trago amigo", uma harmonização de caju, torresmo e cachaça.
Passando por pirarucu, ripa de costelinha, risoto mulato, sorvete de cupuaçu.
Não conhecia a água de Cambuquira que achei melhor que a Perrier.
Podemos experimentar o Brasil no Tordesilhas, mas parece que não estamos nele, lembrando uma comida importada. 
Eu conheço somente o Tordesilhas que serve o Tacacá em São Paulo.
Infelizmente estamos longe da comida regional brasileira ser valorizada em São Paulo e que todos os restaurantes possam servir essas delícias. 

Serviço:
Tordesilhas Restaurante

Al. Tietê, 489 – Jardins – São Paulo
Telefone:
11 3107-7444  e 11 3214-5298

E-mail:
tordesilhas@tordesilhas.com

Funcionamento:
terça a sexta: 18 h – 1 h
sábados: 12 h – 17 h / 19 h – 1 h
domingos: 12 h – 17 h
feriados: 12 h – 17 h / jantar (favor consultar)

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Arabia Restaurante

Comida árabe, servida em uma salão agradável, atendimento impecável e sobremesas deliciosas.
Olhando o cardápio, sempre lembramos: Conheço isso do Habibs e por 99 cents.
O Arabia é tradicional em seu cardápio, assim conhecemos a maioria das receitas.
O bom mesmo é começar a beber um Arak, tradicional aguardente de uva e aniz e se divertir como muda de cor ao adicionar água e gelo.
Depois fui para a esfiha de carne(R$6,90), esfiha folhada de carne e o delicioso quibe frito recheado com nozes (R$9,00).
Pedir o trio de pastas é uma boa escolha, que acompanha homus, babaganuch e coalhada seca (R$23,00).
O prato principal escolhi um misto de grelhados, que são os espetos árabes e me arrependi.
O que é delicioso são as sobremesas. Eles divulgam que tem um chefe patissier libanês.
O Malabie que é um manjar feito de creme de nata e tem almíscar (que tenho medo do que seja isso), coberto com calda de damasco. D+!
O Knefe que são aqueles doces com massa de cabelinho de anjo e colocamos calda de flor de laranjeira, são um espetáculo a parte!
Também eles tem uma diversidade de sorvetes artesanais, com ingredientes importados da Líbia, que vale a pena experimentar os diversos sabores.
A culinária árabe é deliciosa e saudável. Vamos deixar a visão Habibs dela e começar a curtir os diversos sabores.



Serviço:
Arabia Restaurante

Endereço:
Rua Haddock Lobo, 1397 - Jardins
Telefone para contato e reservas:
+55 11 3061-2203
Horário:
Diariamente para almoço e jantar:
De Segunda a Domingo das 12h ás 24h

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

MIMO Restaurante

O MIMO é um restaurente recomendado como Bib Gourmand pelo guia Michelin, que indica como boa comida e preços moderados.
O ambiente é "clean", com mesas brancas, um sofá com almofadas, um agradável ambiente externo.
O atendimento é gentil. A comida segue a linha de mediterrânea. 
Eles tem um meno degustação de 8 tempos, mas tem que reservar com antecedência.

De entrada, tem duas opções interessantes: 
- 10 unidades de coxinha de frango na massa de mandioca, R$30. 
- Burrata, Abóbora assada, Ricota com pistache, Tomate e pão de fermentação natural, R$36.
A burrata é um queijo mozarela recheado com massa fresca de mozarela e creme de leite fermentado, espetacular!

O prato principal eu pedi tentáculos de polvo, com arroz, páprica e parma, mas me arrependi. Os tentáculos não estavam bonitos e saborosos.
O MIMO oferece um "mimo" para os clientes, no meu caso foi uma casca de batata frita com um tipo de creme de tartaro.
No geral a comida é saborosa e voltaria para experimentas outros pratos.


Serviço:
MIMO Restaurante

Rua Caconde, 118 - Jardim Paulista - São Paulo - SP
Telefone (11) 3052-2517

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Arturito Restaurante

O Arturito parece que virou um ponto turístico em São Paulo, com um grande quantidade de turistas na espera. O grande motivo não é pela culinária, mas pela musa do MasterChef, Paola Carosella, que comanda o restaurante.
O salão do restaurante é bem agradável, estilo clean, com sofás e um confortável espaço para espera de mesas.
A comida em geral é saborosa e quente, tomando cuidado para não se queimar com as deliciosas empanadas (R$16).
O serviço na mesa é falho: com garçom que esquece de cardápio, acompanhamentos, prejudicando muito na experiência.
O cardápio é um pouco confuso e enxuto.
No prato principal, degustei um Nero di Seppia com vongoles (R$69). Antes serviam este prato com lagostim, que foi até tema de um episódio do Masterchef.
A sobremesa fui no tradicional sorvete de doce de leite.
Fiquei um pouco decepcionado com o Arturito. Não voltaria tão cedo e nos restaurantes recomendados "Bib Gourmand", existem opções melhores que o Arturito.


Serviço:
Arturito Restaurante

Endereço: Rua Artur de Azevedo, 542 - São Paulo - SP
Telefone [11] 3063-4951

Funcionamento:
Almoço:
3ª a 6ª das 12h às 15h
sábados e domingos das 12h30 às 16h
Jantar:
2ª a Sábado das 19h às 23h30

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

TonTon Restaurante

O ambiente do TonTon restaurante lembra uma mistura de Pub com Bistrô. Eu gostei desta combinação!
O atendimento é atencioso, mas curiosamente, ao contrário dos Pubs, que tem em sua grande maioria as taberneirAS, no TonTon parece que são só os taberneirOS.
No quadro negro, tem os especiais do dia. O Taberneiro apontou para a "Moules à la bière" (R$53), que seria mexilhões na cerveja, acompanhando uma bela porção de batatas fritas.
Fiquei com água na boca e topei a sugestão deste prato comum na Bélgica. As porções são bem servidas, outro ponto positivo.
O chef Gustavo Rozzino trabalhou em diversos lugares do Brasil e Mundo, trazendo essas influências para a sua cozinha.
Seguindo do prato belga, aproveitamos a oportunidade e fomos de "Vieiras Grelhadas" (R$68), "Bobó TonTon" (R$78) , "Moqueca TonTon" (R$65).
Todos vieram com uma grande quantidade de frutos do mar e de qualidade!
As sobremesas são interessantes, se quiser experimentar um pouco de cada, peça o café gourmand.
O doce que faz a fama do restaurante é a Tonguava (R$22) (goiaba cascão, goiaba confit, creme de queijo).
O restaurante tem uma boa variedade de opções, neste dia estava empolgado com os frutos do mar, mas voltarei para experimentar outras iguarias.
O TonTon tem merecidamente o selo "Bib Gourmand" da Michelin e conquistou o meu paladar!



Serviço:
TonTon Restaurante
Telefone: 2597-6168
E-Mail: contato@tontonsp.com.br

Endereço: Rua Caconde 132, Jardim Paulista  - São Paulo - SP

Horário de Funcionamento:
Terça à sexta das 12:00 às 15:00 • 19:30 às 23:00
Sábado das 12:30 às 16:00 • 19:30 às 23:30
Domingos e feriados das 12:30 às 16:30

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.


Brasserie Victória

O tradicional Brasserie Victória, desde 1947, tem nome de bistrô francês, não poderia imaginar que este restaurante, que figura na lista de Bib Gourmand da Michelin, tem como especialidade comida Libanesa. O local é imponente, com uma entrada grande e chamativa, bem na Juscelino Kubitschek.
Os herdeiros da Dona Victória garantem que mantém a tradição nos pratos. O pão sírio chegou quentinho na mesa, abrindo o apetite. Recomendo o delicioso Kibe Michui (R$ 20), que é recheado com gordura de carneiro. De sobremesa, não esqueça de pedir a maravilhosa flor de Damasco, com amêndoas e calda de flor de laranjeira sobre massa folhada.
Tivemos sorte no serviço de mesa, mas vejo relatos de que o atendimento é sofrível em determinados dias. A comida do Brasserie é deliciosa, voltarei em breve.


Serviço:
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 545 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04543-010, Brasil

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Carlinhos Restaurante

O seu Missak, no nosso "BR" é conhecido como Carlinhos, fundou em 1971, o seu restaurante que era especializado em carnes e massas.
O carro chefe é picanha fatiada, mas ficou famoso pelo prato armênio, chamado de Arais. 
Prato simples, o Arais é um pão sírio recheado com carne ou queijo.
Anthony Bourdain, em uma de suas visitas em nosso país, foi comer o Arais no Carlinhos e recomendou.
O Arais (R$ 19,90) é bem saboroso, tendo recheios de carne, queijo e zaatar.
O Basturmalã (R$ 36,80) é outro prato típico armênio, que é uma carne bovina curada com especiarias, frita na manteiga e com ovos. Achei a carne bem salgada, lembrando um omelete, não recomendo.
O meu favorito foi o Merguez (R$ 31,80), que é um enrolado de pão sírio, recheado de liguiça de cordeiro.
O funcionamento é somente no almoço, um bom passeio é andar pelas lojas do Bairro Pari e aproveitar para experimentar o Arais.



Serviço:
Carlinhos Restaurante
Rua Rio Bonito, 1641 - Pari, São Paulo - SP
(11) 3315 - 9474
Horário Funcionamento: Segunda-Sábado: 11:30 - 15:00

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

EMA Restaurante

A dica é o restaurante EMA, com um ambiente bem descolado, com desenho de Emas para todos os lados. 
Tive a sorte de sentar no balcão e ver o pessoal da cozinha trabalhando. Eles tem duas opções de menu degustação, um de 8 etapas e outro de 6 etapas. O valor dos menus sai por R$190. 
A coquetelaria é bem feita apresentando drinks bem elaborados. 
O que mais me surpreendeu foi o incrível ovo mollet, por mim só comeria ele. 
Uma excelente opção de restaurante que a cada dia fica mais famoso. Preciso voltar para experimentar outras opções.

Serviço:
EMA Restaurante
Rua Bela Cintra, 1551 - Consolação - São Paulo - SP


* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

Petí Restaurante

O Petí é um restaurante que serve comida boa, de qualidade, feita com técnica e ingredientes frescos a um preço super justo. O menu degustação sazonal muda a cada 15 dias e inclui entrada + prato principal + sobremesa, no valor de R$47,00. 
O Chef Victor Dimitrow faz um excelente trabalho, vela e pena uma visita ao restaurante!
Ele é recomendado pela guia Michelin e certamente irei voltar várias vezes... 
Serviço:
Petí Restaurante

Endereço:
Rua Cotoxó nº 110 - São Paulo
[11] 3873 - 0099
E-mail: eventos@petirestaurante.com.br

Outras Unidades:
Higenópolis
Av. Angelica, 1900 - 4ºandar
01228 200 - São Paulo- SP
[11] 3661 9685

Jardins
R.Groenlândia, 77 - 2ºandar
01434 000 - São Paulo - SP
[11] 3885 5143

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Jenkins - Configurar "Seed Job"

Jenkins é uma plataforma poderosa para automatizar tarefas.
Através de seus diversos plugins, complementamos as funcionalidades e escopo.
Oferecendo tantas facilidades, o Jenkins livra o desenvolvedor das atividades repetitivas.
Vou apresentar neste artigo o plugin "job-dsl-plugin", que é responsável pela implementação do "seed-job".

O que é "job-dsl-plugin"?
É um plugin que implementa a funcionalidade do desenvolvedor descrever "jobs" usando Groovy.
Na prática, podemos criar um arquivo com diversos comandos, que serão interpretados no Jenkins com o objetivo de criar e configurar um ou vários  "Jobs".
Assim, evitando o trabalho de utilizar a UI do Jenkins para configurar os Jobs.

Qual o benefício de utilizar o plugin?
Quando operamos o Jenkins para criar o Job, entramos na interface do usuário, criando um novo item, adicionando parâmetros, adicionando "steps", tudo isso manualmente na UI.
Quando o número de Jobs cresce, começa a ficar difícil a manutenção destes Jobs utilizando a UI. Imagina se tivermos que fazer uma alteração em todos os jobs, teríamos que entrar um por um.
Em um cenário que o servidor do Jenkins sofre um problema, perde informações dos Jobs ou simplesmente precisamos replicar jobs parecidos para outros sistemas, utilizando o "job-dsl-plugin" fica mais fácil.
Podemos versionar os arquivos de configuração dos Jobs em Groovy no Git, por exemplo. Assim, podemos reverter alterações nos Jobs de uma forma fácil.
A grande vantagem é que podemos programar nossos jobs, ao invés de ficar clicando em um monte de tela.

Instalar o Plugin
Na opção "Manage Jenkins",  "Plugin Manager" clicar na Aba "Installed".
Procurar pelo plugin "Job DSL".
Caso não tenha instalado, entrar na aba "Available" e buscar por "Job Dsl".

Configurando "Seed-Job"
O "Seed-Job" é um job que irá fazer um clone de um repositório remoto, interpretrar os arquivos DSL e gerar outros Jobs.
O primeiro passo é termos um repositório no Git, destinado a versionar os arquivos DSL. 
Na home do Jenkins, escolhemos a opção "New Item".
Depois defina o nome do Job, escolha a opção "Freestyle Project".


Na próxima tela, buscar a opção de "Build", no combo de "Add Build step", selecionar a opção "Process Job DSLs".
No campo "DSL Scripts", incluir a opção de "*.dsl", definindo que iremos pegar todos arquivos com extensão dsl.


Na seção de "Source Code Management", preencher informações do repositório. No caso do Git, colocar a URI do repositório e o certificado do usuário que foi registrado no Jenkins.
Com estas informações, a ferramenta irá fazer o clone do repositório com os arquivos "*.dsl" necessários para gerar outros jobs.


 Salvar este Job, que posteriormente iremos executar ele.

Hello World - DSL

Os scripts em DSL são programados utilizando Groovy.
Para exemplo do nosso  "Seed Job", crie um arquivo *.dsl no seu repositório de arquivos, com o conteúdo abaixo:
job('JobEcho-Teste'){
        steps{
                shell('echo "Teste - Ola Mundo!"')
        }
}

Versionar o arquivo e executar o "git push" para o servidor remoto do Git. 
Clicando no Job de Seed, iremos executar um build.
O Job de Seed irá executar e criar um novo job, chamado  "JobEcho-Teste", que foi configurado no arquivo DSL de exemplo.


Entrando no JobEcho-Teste, executamos o build desse job. Se ocorreu tudo certo, o build deverá estar verde.

Depois entramos no build do job e clicamos em "Console Output".

No console vemos o retorno de nosso "Olá Mundo".
Um outro exemplo simples, para ilustrar o funcionamento do DSL.
O script abaixo, cria um job que faz clone de um repositório no GitHub.
job('NomeJob') {
    scm {
        git {
            remote {
                github('account/repo', 'ssh')
                credentials('CredencialCadastrada')
                url('git@github.com:ROMERO/URIGitHub.git')
            }
        }
    }
}

Existem diversos comandos DSL que ajudam a automatizar a criação de Jobs.
Uma boa referência para os comandos é no link abaixo:

Outros links interessantes:

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

A Casa do Porco Restaurante

Grata surpresa na visita ao restaurante "A Casa do Porco".
Para quem gosta de carne suína, não irá se arrepender.
Comandado pelo Chef Jefferson Rueda, o mesmo do premiado Dona Onça, temos uma imensa variedade de cortes de porco.
Sendo um restaurante badalado, a fila de espera é grande. Como ele fica perto do edifico Copan, ficamos na rua esperando a mesa.
Seguranças do restaurantes ficam espantando os crakudos que vêem pedir dinheiro e sua caipirinha de caju.
O restaurante tem um balcão voltado para a rua onde podemos pedir petiscos e bebidas.
Pedi o menu degustação, 95 reais, preço justo pela variedade.
Somente achei muito exótico o sushi de porco, meu paladar não aceita muito essa fusion com comida japonesa.
Vale a pena conhecer esse restaurante, vão com paciência que irão se deliciar com variedades de pratos suínos.



Serviço:
Endereço: R. Araújo, 124 - República, São Paulo - SP, 01220-020, Brasil
Telefone: +55 11 3258-2578

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Tartar&Co Restaurante

Estava ansioso em conhecer o restaurante Tartar&Co do chef Érick Jacquin, o jurado francês do Master Chef.
Em resumo: esperava mais do local e comida, não recomendo este restaurante.
Acho que pelo que vejo do Érick Jacquin, esperava um ambiente mais conservador, fiquei supreso em o Tartar&Co ser descolado.
A maioria dos ambientes são escuros, não conseguia ler o confuso cardápio, tive que me esforçar para encontrar luz para conseguir escolher.
São vários cardápios e os garçons atrapalhados sempre esquecem de um e você tem que ficar perguntando toda hora.
As mesas são bem pequenas, faltando um pouco de requinte, utilizando-se de um papel de bandeija menos divertido que o do Mac Donalds para acomodar os pratos.
O surpreendente da cozinha é a velocidade de entrega do serviço, os cozinheiros devem ter sido treinados na base da chatice do Jacquin.
Os ingredientes são frescos, tirando um pão artesanal duro (não colocaram no forno para amolecer) que veio junto com as ostras.
A comida é boa, nada surpreendente.
Vale como experiência e quem sabe um dia ele faça um episódio de "Pesadelo na Cozinha" no próprio restaurante.



Serviço:
Tartar&Co

Av. Pedroso de Morais, 1003 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05419-000, Brasil
Telefone: +55 11 3031-1020

* Valores confirmados na data de postagem.
** Reflete uma opinão pessoal, não sou especialista.
 

Cadastrar Email

Sobre o Blog

Neste blog irei compartilhar as minhas experiências e observações. Os temas serão variados, mas com ênfase em tecnologia. Inscreva-se nos nossos canais para receber atualizações.