twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemail

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Google Alerts

PessoALL,

Outra ferramenta muito interessante do Google é o Alerts.
Lembro de um serviço de uma antiga assessoria de imprensa, onde eles mandavam o clipping com todas as notícias que citavam uma determinada empresa.
Agora, depois do Alerts, acredito que o trabalho deles ficou bem mais fácil.
Utilizando a sua conta no google, pode-se cadastrar palavras chaves. O sistema verifica a palavra chave em Grupos, Notícias, na WEB ou em Todos.
Enviando o resultado para um e-mail cadastrado.
Este recurso é muito interessante para
acompanhar a evolução de um tópico atual, monitorar um concorrente ou setor, manter-se em dia com as últimas notícias sobre uma celebridade ou um evento, acompanhar citação de seu nome ou empresa, etc.
É... esse Google vai dominar o mundo ainda!
Link: http://www.google.com/alerts?hl=pt-BR

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Google APPS + 1 Domínio

Nobres Leitores, a minha empolgação sobre o Google APPS foi tamanha, que também fiz a migração do domínio de minha Noiva.
Ela tem um escritório de advocacia (GV Advocacia), acredito que todas as ferramentas do Google serão de extrema utilidade para ela. Estou pesquisando e procurando oportunidades sobre Softwares que podem ajudar os advogados no trabalho.
Eu vi que o mercado nacional está se movimentando com soluções SaaS para os Advogados. Na minha visão, o perfeito seria um escritório virtual, no estilo Google Apps. Quem sabe uma integração com o Google Apps não resolveria o problema?
Este é um universo que estou começando a explorar...
Segue o link do escritório:
http://www.gvadv.com.br
 
 

 

terça-feira, 26 de maio de 2009

Apresentando Google Apps

Vou apresentar para vocês, nobres leitores, um pacote de serviços do Google.
Sou um fã incondicional dessa empresa e fiquei impressionado com essas aplicações baseadas no modelo SaaS (Software-as-a-Service).
Esse Pacote Google Apps abrange os serviços gmail, calendar, docs, talk, mobile e o google sites, os mesmos não eram novidades para mim.
Estava verificando a possibilidade de trocar o meu domínio de servidor, buscando alguma alternativa free. Foi quando encontrei o Apps.
O primeiro recurso que me chamou a atenção, foi de poder usar o seu domínio e o logotipo.
Pode-se, por exemplo, utilizar o meu e-mail romero@dsromero.com.br como sendo uma conta no gmail. Então, quando mandarem um e-mail para mim, o gmail será o meu servidor de e-mail.
Podemos utilizar o webmail do gmail para poder visualizar os nossos e-mails e com o logotipo de nossa empresa no lugar do Google.
O Apps tem um sistema de administração bem interessante, nele poderemos controlar os domínios de nossos serviços e ativar os mesmos, definir o logotipo , criar contas de usuários, alterar layout e outras configurações.
No meu domínio posso criar 50 usuários, na versão free. Na versão paga, temos algumas vantagens.
Neste link, temos um comparativo com as versões:
http://www.google.com/a/help/intl/pt-BR/admins/editions_spe.html
 

Os usuários cadastrados podem dividir os mesmos documentos, verificar a agenda de outro usuário, podem dividir os mesmos contatos no gmail, pode-se criar uma intranet e todos usuários podem atualizar através do google sites. Utilizando o mobile, a sincronização com o meu iphone ficou muito interessante. Posso verificar a agenda, gmail e contatos com informações atualizadas direto do meu iphone. Estes recursos são preciosos para um ambiente empresarial e de contribuição.
 
Fiquei muito empolgado com a possibilidade de vender esses serviços. É uma solução muito barata para empresas de grande e médio porte. A versão paga são $50 anuais por usuário. O Google estimula um programa de reseller do Apps, contudo, não está liberado aqui no Brasil.
http://www.google.com/apps/intl/en/business/resellers/index.html
 
Eu migrei o meu domínio para o Google Apps sem problemas. Estou muito satisfeito e vejo isso com bons olhos para um investimento. Ainda mais criando aplicações para trabalharem em conjunto com o APPS.
Acredito que deu para ter uma idéia dos recursos que o Apps pode oferecer.
Se quiserem conhecer mais, acessem: http://www.google.com/apps/
 
Com o tempo, vou postando mais informações sobre o apps e dicas sobre as ferramentas.
 
Qualquer dúvida é só comentar...

Cavalheiro de Paris

PessoALL,
 
Por falta de tempo, não consegui escrever nada sobre a minha visita a Cuba.
Mas vou escrever sobre uma curiosidade que vi nas ruas de Havana Velha.
Andando perto da básilica de São Fransisco de Asis, avistei uma interessante estátua.
Todas as pessoas ficavam tirando foto, alisando a barba, posando ao lado daquela estátua de bronze.
A pessoa eternizada naquela estátua era o Cavalheiro de Paris (El caballero de Paris).
Toda Havana conhecia aquela figura pelos anos de 1950.
Sempre usava roupas pretas, com uma capa também preta, em pleno verão Caribenho.
Dizem que ele era uma pessoa gentil, possuía uma boa lábia e sempre parava para conversar com todos que encontrava pela frente.
O nome verdadeiro do cavalheiro de Paris era José María López Lledín, nasceu em 30 de dezembro de 1899, na aldeia de Vilaseca, na Espanha.
Dizem que ele, antes de enloquecer, trabalhava em um restaurante de comida francesa. Onde ele falava que era o Rei do Restaurante, por isso começaram a chama-lo de "Cavalheiro de Paris".
Ele vivia como mendigo, indigente e ganhou fama falando que era um Cavalheiro de Paris.
Assim virou o vagabundo mais famoso de Cuba, quiça mundialmente.
Ficou tão famoso que ele não pagava mais para comer em qualquer restaurante da cidade.
Quando morreu, foi enterrado junto aos nobres, dentro da basilica de São Fransisco.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Relato: Aventura no Egito

Sou aventureiro e sempre sonhei em conhecer o Egito. Não podia ter escolhido melhor: as pirâmides, os templos, as mesquitas, o Nilo... são lugares fantásticos, porém a aventura mesmo eu encontrei nas ruas, em contato com o povo gentil e encantador do Cairo.
Logo ao chegar à cidade, já me deparei com o que se pode chamar de trânsito "Cairótico"! Se você conhece São Paulo e acha o trânsito paulistano complicado, precisa conhecer Cairo. Embora a cidade seja enorme, os semáforos são raríssimos e os motoristas parecem ter acostumado a dirigir buzinando.
Não preciso dizer que a minha primeira aventura foi mesmo atravessar a rua. Para a minha sorte, os condutores egípcios respeitam muito os pedestres. Basta pular na frente dos carros e eles milagrosamente param!
Os egípcios são muito religiosos. Quando você pergunta a um taxista quando vai chegar ao destino ou a um garçom se a comida já está para vir, a resposta sempre é a mesma: Inshallah! – ou seja, se Deus quiser. Quando encontrar um árabe, a melhor forma de cumprimentar é dizer Assalamu Aleikom - que a paz de Deus esteja com você. Acredite que ele se sentirá lisonjeado com essa sua atitude e, certamente, responderá Aleikom Salam – que você também esteja com a paz de Deus.

Porém, o turista precisa aprender a falar no Egito "la, la, la, shukrun (não,não, não, obrigado)". Essa frase é mágica! Quando um vendedor insistente tentar vender um camelo de pelúcia para você, repita essa frase que ele sai rapidinho.
Ande sempre com dinheiro trocado no bolso, porque se você não gastar com os vendedores, com certeza precisará das moedas para pagar gorjetas (bakshish, em árabe), hábito que faz parte da cultura popular egípicia. No táxi, no hotel, nos banheiros públicos, você sempre vai ouvir a palavra Bakshish. Um guarda quis tirar foto com o meu amigo. Surpreso, ele topou. Mas logo depois do click, "bakshish"!
Agora se você quiser fazer um curso de vendas, vá para o Egito. O povo árabe conhece muito bem a arte de negociar e tem muita paciência para isso. Entre em algum souk – bazar – para ver como os egípcios vendem. Primeiramente, nada tem preço, para tudo eles negociam o valor. Se um vendedor oferece um chá de hibisco ou uma coca-cola, pode sentar que a conversa vai demorar – algumas vezes por horas. Quando acaba a negociação e você acha que saiu ganhando, pode ter certeza que pagou pelo menos o dobro do preço do produto.
O tempo no Egito é seco e quente, então protetor solar e labial são essenciais para a sobrevivência. Chove em média duas vezes ao ano no Egito e quando chove, nem consegue tirar a poeira no capô dos carros. Pra se ter uma idéia, não existem bueiros no Cairo.
Uma das partes mais divertidas da viagem aconteceu na cidade de Edfu. Estava caminhando com meu colega Luiz, quando ouvimos um som alto saindo de um beco. Era uma festa de casamento e, para a nossa surpresa, o padrinho dos noivos nos convidou para entrar. Só que eu não notei que homens e mulheres ficavam separados, em lados opostos. Acabei ficando do lado das mulheres e saí discretamente quando percebi meu erro. No palco da festa, homens ficavam dançando e rodopiando. Meu amigo sacou a câmera e começou a registrar esse show, mas filmamos, sem querer, a ala das mulheres. Uma senhora levantou-se e começou a gritar. Acabamos expulsos da festa!  E aprendemos que é preciso tomar cuidado ao filmar, fotografar ou simplesmente olhar uma mulher no Egito.
A segurança no Egito é impressionante e não me senti ameaçado em nenhum momento, nem ao ser expulso da festa de casamento. O povo é muito educado e receptivo. Estávamos nas ruas do Cairo no horário de saída das escolas. Um bando de crianças começou a ficar ao nosso lado e puxar assunto. Queriam que tirássemos fotos. Uma criança chegou a pedir dinheiro emprestado a um amiguinho da escola e presenteou meu amigo com uma barra de chocolate.
O que mais me impressionou no Egito foi a cultura. As pirâmides, templos, mesquitas, obeliscos e monumentos são outros atrativos que fazem o país ser um lugar especial e único. Digno de ficar guardado em meu coração e pensamento.

Um pouco sobre o Marins

Venho aqui falar um pouco do Marins...
Tenho um carinho especial por essa Montanha.
Vendo um monte de pessoas novas nas trilhas, ansiosas para conhecer esse mundo que é o
Montanhismo. Lembro-me deste lugar onde tudo começou....

O Marins é um lugar único em São Paulo, pois demonstra o verdadeiro aspecto de uma montanha.
É um lugar pobre, não tem uma riqueza de vida, onde nós, pobres humanos tentamos vencer os limites para sobreviver neste ambiente inóspito.
A única preocupação é da sobrevivência, diferente de nosso dia a dia, onde precisamos de dinheiro para sobreviver.
Nos preocupamos com a água, com o caminho a ser seguido, com o ponto de acampamento, com o nosso corpo.
Respeitando sempre a montanha e os limites que nos é dado.

Diferente de nosso cotidiano.
Acredito que o Respeito seja o requisito principal de um Montanhista. Primeiramente com a
montanha, depois com o seu corpo, depois com seus amigos de caminhada.
Os novatos vão perceber que o montanhismo não é nenhuma corrida, onde colocamos as mochilas e corremos para o cume. É uma imensa e deliciosa viajem, onde curtimos cada ponto de parada, cada vista, cada conversa com o amigo ao lado ou na fila indiana.
Falando em cume, sempre me falaram que ele é somente o meio do caminho. Temos a descida, que sempre é dolorosa. Contudo, o cume é o melhor presente da montanha.

A vista é linda, a paz e sintome próximo de Deus.
Aprendi que cada um tira uma lição da Montanha.
A minha primeira vez no montanhismo, percebi que alguns adoraram, outros acharam normal e
outros odiaram.
Sempre me falaram sobre o bicho da montanha, que quando pica, você nunca esquece ela.
Acho que esse bicho existe no Marins.
Ao contrário do mercado de trabalho, a experiência conta muito no Montanhismo.

Trabalho na área de informática, estava conversando com dois grandes amigos, comentando que quando vamos ficando velhos, somos substituídos profissionalmente por mais novos.
No Montanhismo é difícil ver alguma pessoa inexperiente, ou nova de idade, escalando uma montanha de grande altitude. Veja a idade das pessoas que escalam o Everest ou K2.
Então o único jeito de aprendermos é vermos e respeitarmos os mais experientes.
A fraternidade é obrigatória neste meio. Nunca vi um Montanhista negar ajuda.
Mesmo com sede, a água pode ser dividida.

Nunca vi ninguém ficar para trás, mesmo a pessoa estando cansada, um Montanhista fica ao lado motivando a continuar a sua jornada.
Presenciei um fato maravilhoso na Serra do Papagaio, duas expedições encararam fazer essa travessia. Uma com apenas 3 ou 4 pessoas outra com 8 ou 9. As duas seguiram isoladas, sem se
misturar. Mas as duas se juntaram na hora do aperto. Dividindo comida na janta, fazendo um recolhe para ver o que dava para fazer na janta.
Devo muito ao Montanhismo.

Tirei uma grande experiência deste lugar.
Aprendi que não precisamos de muito para ser feliz.
Não senti falta de luz, televisão, internet, cerveja (Forcei nesta...)...
Apenas com uma mochila nas costas, fui muito feliz.
Acredito que todos que vão subir uma montanha a primeira vez, subam com esse espírito. Um
mundo de novas experiências e amizades vão se abrir.
Falar em Amizades... Tantos amigos que fiz no montanhismo.

Não vão faltar aventuras, trilhas para bares, boas lembranças.
Na montanha cruzamos com vários tipos de pessoas, sempre respeitando cada um.
Encontramos os Mestres, os Poetas, os Palhaços, os Filósofos... cada tipo!
Mas o amor a Montanha une todos.

Vou confessar... Um dia vou fazer isso!
Quando estou no cotidiano, trabalhando, sempre penso na Montanha.
Sinto uma imensa vontade de largar tudo e viver no Montanhismo.
Espero que todos que vão iniciar neste Mundo, estejam aberto a essa experiência.
Aos que já subiram várias vezes, sempre é bom estar ao lado ou em cima da Montanha.

Passos Firmes!
 

Cadastrar Email

Sobre o Blog

Neste blog irei compartilhar as minhas experiências e observações. Os temas serão variados, mas com ênfase em tecnologia. Inscreva-se nos nossos canais para receber atualizações.